Entrevista SXSW: Caro garoto

16 de Março de 2015

Se você ainda não adicionou o single "Hesitation Waltz" do Dear Boy a cada playlist que você criou desde seu lançamento em agosto passado, você deve se lembrar que as quatro peças baseadas em Los Angeles ajudaram a empacotar o Bardot para a segunda parte da nossa série de eventos TuneCore Live. Dear Boy está de volta ao SXSW depois de fazer sua viagem de estréia no ano passado, tendo desde então construído uma sequência dedicada ao vivo.

Uma banda de rock de guitarra que exala "cool", estamos entusiasmados por ter o Dear Boy como uma adição ao nosso TuneCore Live: Festa de Austin na Vulcan Gas Co. esta sexta-feira, 20 de Março! O vocalista principal Ben Grey teve a gentileza de responder algumas perguntas para nós enquanto o grupo se prepara para tomar Austin de assalto:

Parece que esta é a sua segunda viagem à SXSW. Que lições você está tendo com você a partir de suas experiências anteriores?

Caro rapaz: Sim, este é o nosso segundo ano. Honestamente, a idéia do SXSW realmente me assustou antes de sairmos lá em março passado. No papel, soou como um pesadelo... Mas, como diz a história, eu me apaixonei pelo Austin. Vi tantos espectáculos fantásticos, pendurados com algumas das pessoas mais radicais que conheço, e descobri o La Barbecue. Foi tudo tão matador.

Por mais tolo que pareça, a principal lição do ano passado que estou a tirar é saboreá-la a sério. É quase como a festa de aniversário da música. É suposto divertires-te na festa de aniversário da música. Também vamos tocar o dobro dos espectáculos deste ano, por isso, sim. Feliz aniversário.

Qual é o conselho que você tem para os artistas que fazem sua primeira viagem ao SXSW que você poderia ter usado?

Sapatos confortáveis. Jesus Cristo, traz sapatos confortáveis. Faz algumas recordações.

Como vocês planejam aproveitar a sua viagem à SXSW em termos de networking?

O trabalho em rede é como ser engraçado: se estás a tentar ser engraçado, vais bombardear. Se a tua missão é bater uma punheta, vais bater em toda a gente. Para nós, gostamos muito de música e de conhecer outros músicos, por isso estar perto de outros artistas e ver o que eles fazem é a sua própria recompensa. Alguns podem chamar isso de networking, mas nós apenas o chamamos de enforcamento, e planejamos tirar grandes vantagens do enforcamento.

Tem algum plano para fazer um tour no seu caminho até Austin ou depois do SXSW terminar?

O Caro Rapaz tem algum tempo de estúdio reservado mesmo antes do SXSW começar, por isso, infelizmente, vamos estar em plena decadência. Pensando bem, esta será a terceira vez que vamos directamente para o Texas este ano. Acabei de me arrepiar.

Quanto ao tempo de inatividade durante o SXSW, há algum artista, evento ou painel com o qual vocês estejam particularmente entusiasmados?

Absolutamente. Acho que nenhum painel pode ser superior ao do Jarvis Cocker do ano passado. Mas no lado do desempenho: Marina and The Diamonds, Merchandise, Alvvays, The Cribs, Palma Violets, Metz, Ringo Deathstarr, The Vaccines, Wolf Alice, Swervedriver, The Church... Também temos muitos amigos a jogar, Kitten, Nightmare Air, Cloud Nothings, Talk in Tongues, Dark Waves, Mini Mansions... Por isso, também espero ver esses tipos.

Tem havido algum burburinho positivo sobre as actuações ao vivo do Dear Boy. De que forma vocês planejam se destacar e se apresentar aos ouvintes pela primeira vez na SXSW?

Haha, isso é fixe de se ouvir. Bem, eu acho que justificar o zumbido vai ser o nosso acordo. Honestamente, não somos a banda que trepa por todas as paredes ou que emprega um circo no chão para ter uma reacção. Eu não sei. Nós somos uma verdadeira banda de ossos e sangue. Não dependemos de faixas de apoio ou algo do género. Sentir algo ao vivo é o que isto é suposto fazer.

Que bandas ou artistas o Dear Boy cita como principais influências? Alguma banda mais nova que você ache particularmente excitante?

Para Dear Boy, nossas principais influências vivem no final da década de 70 / início da década de 80 pós-punk e início dos anos 90 do mundo britpop.

Os Ferreiros, ModernosEnglish, A Cura, Nova Ordem, Celulose, Camurça, Divisão da Alegria, A Corrente de Jesus e Maria, Sinatras do Lixo, A Igreja, OMD, Peles Psicodélicas, As Rosas de Pedra, Ultravox, Oásis, Sementes de Relâmpagos, etc.

Algumas das novas músicas em que temos andado super metidos ultimamente são DMA's, Wolf Alice, Merchandise, Alvvays, Sky Ferreira... Estou a esquecer-me certamente de algumas, mas é uma época adorável para guitarras.

Como uma banda relativamente jovem, que tipo de papel o TuneCore tem desempenhado no desenvolvimento do Dear Boy?

A Tunecore deu-nos a liberdade de alimentar o nosso público. Não conseguiríamos fazer isto sem eles. A sério.


Vai para o SXSW? Podes apanhar o Dear Boy durante o TuneCore Live: Austin na Vulcan Gas Company na sexta-feira, 20 de Março (apresentado com a ajuda de Swisher Sweets, CraveOnline, Mirrored Media, DropKloud, e LANDR). Suas outras datas SXSW estão abaixo:

Terça-feira, 17 de Março @ Cheer Up Charlie's
Quarta-feira, 18 de Março @ Bar 96
Quinta-feira, 19 de Março @ Red 7 Patio

Etiquetas: Austin caro rapaz com valsa de hesitação indie SXSW tunecore tunecore ao vivo gás vulcano co