Entrevista SXSW: Sam Fora-da-lei

11 de Março de 2015

Sam Outlaw não é na verdade um criminoso. Ao contrário, é um cantor country independente criado no Dakota do Sul, baseado em Los Angeles, ("Outlaw" é de facto o nome de solteira da sua mãe). Sam Outlaw é relativamente novo na cena musical do sul da Califórnia, mas com 2014-15 resultando em dois videoclipes bem recebidos e uma série de lançamentos de single/EP distribuídos via TuneCore, ele está bem no seu caminho!

A primeira de uma série de entrevistas com TuneCore Artists tocando nossa festa do dia SXSW na Vulcan Gas Company na sexta-feira, 20 de março (apresentada com a ajuda da Mirrored Media, Swisher Sweets, DropKloud, CraveOnline e LANDR), Sam discute a preparação para sua primeira viagem como ator, influências country modernas e clássicas, e sua próxima estréia em longa-metragem, Angeleno.

Esta é sua primeira viagem ao SXSW, correto? Conte-nos sobre o que você mais espera e como você planeja aproveitar ao máximo a conferência.

Sam Outlaw: Sim, esta será minha primeira vez na SXSW como artista performático - embora eu tenha ido várias vezes para meu trabalho anterior (marketing/publicidade digital). Estou ansioso para finalmente me apresentar e me divertir um pouco com a minha banda. Eles são um grande grupo de músicos e eu me sinto sortudo por ter alguns bons shows alinhados. Só vamos estar em Austin por alguns dias, então a agenda já está cheia, mas acho que vamos aproveitar ao máximo, tocando o nosso melhor e nos conectando com outros músicos.

Mesmo que você não estivesse atuando durante suas últimas viagens SXSW, que tipo de lições ou experiências você aprendeu que podem se aplicar à visita deste ano?

Já vi tantas bandas fantásticas irem para o SXSW e tocarem em salas quase vazias. Eu sei que isso às vezes faz parte do acordo, mas era importante para mim que, se tomarmos tempo e gastarmos o dinheiro para ir a Austin, que pelo menos aproveitemos alguns bons shows. Obviamente não estamos mais em 1992 e toda a parte "descobrir música" do SXSW mudou drasticamente. As bandas têm agora mais do que nunca que se destacar. Existem muitas outras bandas, (e talvez até mais marcas), que estão a tentar chamar a atenção.

Que oportunidades você vê para artistas no seu nível de carreira em uma conferência como a SXSW?

Meu novo álbum "Angeleno" será lançado no início do verão, então estou indo para Austin para tocar o meu melhor e espalhar a palavra. O álbum foi produzido por Ry Cooder aqui em Los Angeles e eu estou realmente orgulhoso dele.

Você planeja fazer um tour antes e/ou depois do seu tempo na SXSW?

Sim. Montes!

sam-9939
(Crédito fotográfico: Matt Wignall)

Há algum evento em particular ou showcase que você está ansioso para assistir por si mesmo na SXSW?

Um bom artista deve entender o negócio de seus negócios e a SXSW apresenta algumas grandes discussões. Eu definitivamente vou tentar fazer pelo menos um ou dois painéis.

Como o TuneCore tem feito parte da sua jornada musical no último ano ou assim?

O TuneCore tem sido uma grande parte da minha história de 2014/2015. Eles sempre foram minha solução para a distribuição digital da minha música e agora com o TuneCore como minha equipe de administração editorial, eles me ajudaram a conseguir três sincronizações de músicas. Estas sincronizações deram-me dinheiro para viver, respirar e terminar o meu álbum. Eu não poderia estar mais grato pelo apoio deles.

Quem são as maiores influências do seu país de outrora?

Demasiados para listar, mas de momento ainda estou a ouvir muitos dos meus velhos favoritos: Don Williams, Gene Watson, Hoyt Axton, Keith Whitley, Willie Nelson, Dolly Parton, Mickey Newbury, Emmylou Harris, Wynn Stewart, George Strait, Clint Black, Dwight Yoakam, Rosie Flores, Randy Travis, Asleep At The Wheel, (e claro que a maioria destas pessoas ainda está a fazer música fantástica).

Existem actualmente artistas nacionais (independentes ou não) que realmente o inspiram?

Não sei se todos estes artistas se qualificam necessariamente como (ou se querem ser considerados) "país" mas... Pete Lindberg, Austin McCutchen, Cale Tyson, Margo Price, Luke Bell, Andrew Combs, Robert Ellis, Sturgill Simpson, Lera Lynn, Quebe Sisters, Brandy Clark, Ashley Monroe, Kelly Pickler, Miranda Lambert, Gillian Welch e Dave Rawlings

Quais são alguns dos prós e contras de ser um artista country baseado em L.A. versus um mercado como Nashville?

Acho que o grande "golpe" de não estar em Nashville é bastante óbvio - há uma base de música country incorporada em Nashville, enquanto a música country não tem prosperado em So Cal por décadas. Às vezes parece um pouco difícil fazer tudo isso de Los Angeles, mas eu adoro o desafio e isso faz com que qualquer vitória seja ainda mais especial. Há uma onda crescente de música baseada em 'raízes' em Los Angeles e eu estou emocionado por fazer parte dela.


Vai para o SXSW? Você pode pegar Sam Fora-da-lei durante o TuneCore Live: Austin na Companhia de Gás Vulcano, na sexta-feira, 20 de Março. As suas outras datas para o SXSW estão abaixo:
Quinta-feira, 18 de Março @ St. David's
Sábado, 21 de Março @ Licha's Cantina
Sábado, 21 de Março @ Swan Dive

Etiquetas: país com indie música sam fora-da-lei SXSW